Mails em cadeia sobre Tabaco!

Tudo comecou com o seguinte e-mail:

Caros membros da comunidade FEUP,



No dia 1 de Janeiro entrou em vigor a nova lei do tabaco – lei n.º 37/2007, de 14 de Agosto. Dando execução ao disposto pela OMS, esta nova lei estabelece normas tendentes à prevenção do tabagismo, nomeadamente no que se refere à protecção da exposição involuntária ao fumo do tabaco.

A FEUP já tinha dado em Novembro de 2005 um passo muito importante neste âmbito, com a medida “FEUP sem fumo”, no entanto, com a entrada em vigor desta nova lei, com medidas mais restritivas, passa a ser também proibido fumar dentro do bar da biblioteca. Alertamos pois para esta alteração e apelamos à colaboração de todos no cumprimento das normas estabelecidas. Informamos ainda que continua a ser admitido fumar nas áreas ao ar livre.



O regulamento “FEUP sem fumo” elaborado em Junho de 2007, e que prevê a aplicação de sanções internas pelo não cumprimento da proibição de fumar estabelecida pela lei, foi também adaptado à nova realidade e pode ser consultado no SiFEUP em Legislação/Regulamentos: https://www.fe.up.pt/si/LEGISLACAO_GERAL.ver_legislacao?p_nr=2385 .



Mais uma vez se solicita a compreensão e colaboração de toda a comunidade, de modo a contribuir para a diminuição dos riscos ou efeitos negativos que o uso do tabaco acarreta para a nossa saúde, e tornar as instalações da Faculdade de Engenharia cada vez mais um espaço saudável de trabalho e convivência.


Cumprimentos,

/***********************************/

Entao veio a resposta:

Cara Maria Jose I,

Permita-me só que a alerte para as seguintes situações:

- E os alunos (e outros?) que fumam nas escadas de serviço do edifício B?
- E os docentes que fumam nos gabinetes e abrem as janelas para o fumo
sair obrigando os outros a fechá-las para que a respectiva nuvem
cancerígena não entre?
- E o fumo que se aglomera nas escads de serviço dos departamentos
porque as pessoas concentram-se todas à saída dos mesmos?

Há fiscalização para estas situações? Se não houver, não haverá FEUP
sem fumo nunca!

Atenciosamente,

/**************************/

E isso foi o comeco de uma serie de e-mail hilariantes sobre a proibicao do tabaco... aqui ficam algum deles... =p

/**************************/

Caro Jose Maria I:

Como não fumador habitual não posso deixar de comentar o seu email porque revela uma intransigencia e um exagero que não é aceitável.

As posições paternalistas e proibicionistas dos novos talibã, estilo ASAE, correspondem a um recuo civilizacional de quem considera as suas idéias e regras como algo que deve ser rigidamente imposto ao resto da humanidade.
Que efeitos terão na saúde e bem estar dum elemento da FEUP as emissões de fumo eventualmente saiam por uma janela de um gabinete e entrem, diluídos, pela janela de outro?

E o fumo dos carros? E se por acaso não gostar de ciganos não será melhor proibir a sua existência? Houve quem já perfilhasse estas posições e tivesse mesmo tentado implementá-las com alguma eficiencia...

O bom senso e o respeito pela diferença do outro são essenciais, e defesa do nosso direito a respirar ar puro dispensa exageros ; por exemplo já pensou em defender publicamente um regulamento camarario que evite que os camiões ao saírem das obras tragam nos rodados muitos quilos de terra que depois são distribuídos em dose individual cobrindo a cidade de poeira?

Cumprimentos

/****************************************/

Considero-me preseguido pelo presente regulamento, este não é
constitucional nos termos do Artigo 20º do Código Penal, pois sou
considerado inimputável.
Tendo em conta estes factores, não vou deixar e exercer o meu direito
de me entabacar.

Sem mais por agora, os meus maiores cumprimentos para aqueles que
desejam como eu, avidamente morrer cedo.


/****************************************/

Já agora pergunto qual das alíneas do artigo 20 (ver abaixo) acha que se
aplicam no seu caso.

Quanto a morrer cedo sugiro que mude de ideias. A vida é curta.

Mas (se a avidez é tanta) há outros métodos mais rápidos. Conheço
pessoas que sempre fumaram (e incomodaram os outros) e que viveram
muitos anos.



Artigo 20º
Inimputabilidade em razão de anomalia psíquica
1 - É inimputável quem, por força de uma anomalia psíquica, for incapaz,
no momento da prática do
facto, de avaliar a ilicitude deste ou de se determinar de acordo com
essa avaliação.
2 - Pode ser declarado inimputável quem, por força de uma anomalia
psíquica grave, não acidental e
cujos efeitos não domina, sem que por isso possa ser censurado, tiver,
no momento da prática do
facto, a capacidade para avaliar a ilicitude deste ou para se determinar
de acordo com essa avaliação
sensivelmente diminuída.
3 - A comprovada incapacidade do agente para ser influenciado pelas
penas pode constituir índice da
situação prevista no número anterior.
4 - A imputabilidade não é excluída quando a anomalia psíquica tiver
sido provocada pelo agente com
intenção de praticar o facto.


/****************************************/

Pequena correcção de conteúdo:
- uma lei é inconstitucional quando, como o próprio nome indica, viola a
Constituição da Republica Portuguesa;
- a imputabilidade do artigo 20º do CP refere-se, salvo a falha de memória,
a anomalias psíquicas graves o que me levanta a questão seguinte: "Se somos
psiquicamente incapazes de cumprir a lei, seremos capazes de a contestar ou
questionar?"
Por último,
- creio que a última alínea do artigo que refere salvaguarda qualquer coisa
do género: " A imputabilidade não é válida quando tiver sido provocada pelo
agente com intenção de praticar o facto.";


Tanta asneira se disse já à volta deste assunto que me pergunto diariamente
se não devíamos começar a ponderar uma lei que limite a emissão de taxas
cancerígenas de disparates em ambientes fechados A.S.A.P.

/****************************************/

Eh entao que surge um e-mail ironico a comentar o segundo desta lista...

/****************************************/

Caro Jose Maria I.

Era só parar lhe comunicar que acho que tem toda a razão. As legislação actual é suave. Nuvens cancerígenas é algo que que não existe no nosso mundo, à excepção das de tabaco. Por isto, temos que fazer tudo o que for possível para banir os fumadores do mundo habitável. Se um docente julga que pode fumar na privacidade do seu gabinete, no ar que só ele respira, está muito, mas muito enganado. Acredite que tem a minha simpatia, dá para imaginar as quantidades industriais de fumo que entram pelas janelas em redor. Imagino até o fedor que se sente por toda a faculdade, quando o maldito docente acende o seu cigarro no tal gabinete pecaminoso.
O mesmo se aplica aos fumadores, que num respeito hipócrita aos não-fumadores e à legislação, expiram para as escadas, se concentram à porta, enfim, fazem os possíveis para nos incomodar, e a longo prazo nos matar com as suas terríveis nuvens cancerígenas. Manifesto por isto o meu apoio pela possibilidade de obrigar os fumadores irem para um quilómetro de distância de qualquer não-fumador, de cada vez que for fumar um dos seus 5/10/20 cigarros por dia. Não basta terem de ir para o exterior, convém que se escondam atrás dos edifícios, longe da nossa vista, e dos nossos sensíveis narizes.

Afinal, não são pessoas. São tolos que voluntariamente se matam, são praticamente drogados, marginais. É gente que não merece ter nem terá qualquer liberdade, da nossa parte. Pois, claro, temos o poder e o direito de defender os pulmões. Nenhuma medida será para mim exagerada, nem suficiente.

A luta continuará. Sempre.

Atenciosamente.


/****************************************/

No entanto algumas pessoas entenderam a ironia... outra nao... segue-se nova cadeia de e-mais relacionada com o ultimo...

/****************************************/

Acho que um extremismo soa como tal (e por vezes, passa a sê-lo..)
quando se empregam palavras ostensivamente fortes e, - porque a
realidade que conhecemos é APENAS aquela que conhecemos -
desnecessárias.

Eu fumo. Fumo pouco, em algumas raras ocasiões, mas não deixo de me
considerar um fumador. E José Maria II, a minha realidade deve ser bem
diferente da sua, porque eu não me considero um drogado nem um
marginal. Por outro lado, e mais uma vez em resposta ao seu
e-mail/grito-de-guerra, considero-me uma pessoa como qualquer outra.

Um nariz assim tão sensível teria preferência por viver no campo, e
não numa cidade, não acha..? Um automóvel - que eu, eventualmente você
e muitos outros utilizam no dia-a-dia - é igualmente responsável por
um agravamento da saúde de todos nós, e a uma escala bem maior. Porque
não começar a sua critica por aí?

Eu apoio a 100% a nova lei, e já critiquei (e critico) muita gente que
fuma de uma forma prejudicial aos outros. É de facto inadmissível essa
situação. Mas o meu bom-senso impõe-me um certo limite à forma como
faço essa crítica, e eu procuro sempre alguma correspondência entre a
energia que gasto ao fazê-lo, e a gravidade da situação.

A nova lei está aí. Não é agora que as coisas estão melhores e vão
ainda melhorar mais que deve começar a caça às bruxas. O problema está
resolvido? Se sim, passemos ao próximo. Se não passarmos ao próximo,
como de costume em Portugal, temos problemas 'resolvidos' a 200% (não
me estou a referir ao caso do tabaco), e outros a zero. A média até
pode dar 100%, mas não creio que seja isso o que nos interessa.. não
concorda?


Respeitosamente,

/****************************************/

Caro José Maria II,
1º Sinceramente pedia-lhe um pouco mais de respeito e de tento na
língua quando usa o mail dinâmico. Caso não saiba as suas barbaridades
vão para toda a Comunidade FEUP e enchem-nos as caixas com mails que
não interessam ao menino Jesus. A sua opinião sobre esta lei do tabaco
é perfeitamente legitima mas considerar "...não pessoas" os
fumadores... por favor...
2º Não vejo qual o seu problema no facto de alguns dos professores
fumadores fumarem nos seus gabinetes... De certeza que o meu caro
amigo não passa lá a vida para se sentir tão afectado pela tal "nuvem
cancerígena"...
3º Esta lei do tabaco é terrorista. Mais uma vez estamos a assistir ao
lindo espectáculo que é o Estado a meter-se na vida das pessoas. A lei
é uma faca de dois gumes... por um lado o pequeno comerciante que
ganha a vida arduamente tem de levar com esta estúpida lei e com as
terroristas fiscalizações da ASAE... quer legalizar o seu
estabelecimento e ninguém sabe da lei, quer comprar uma máquina para
realizar a extracção do fumo e não existe nenhuma que esteja
homologada, etc... enquanto que o Presidente da ASAE fuma em pleno
Casino e depois vem-se a saber que afinal se pode fumar nos casinos...
É de estranhar também, o facto do Presidente e Vice-Presidente da ASAE
terem estado no mesmo casino por convite da administração...
4º e último ponto - Não é este nem nenhum Governo, nem pessoas como o
Sr. que me vão obrigar a deixar de fumar.
Atenciosamente,

/****************************************/

Caro Jose Maria II,

1º ponto - SOU FUMADOR (e provavelmente estou a escrever este mail a
menos de 1 KM de si... por isso... tenha medo... tenha muito medo!!!)

2º ponto - ESTOU COMPLETAMENTE de acordo com o jose Maria I.

Agora quanto ao seu "deselegante" (no mínimo...) mail:

O facto de ser contra a legislação ou a forma como esta foi elaborada,
não lhe dá o direito de desrespeitar as pessoas que o rodeiam. Se eu,
como fumador, me envergonho dos colegas que não sabem cumprir as
regras, ainda mais me envergonho de um colega (que já vai na 5ª
matrícula, e como tal, deveria demonstrar alguma maturidade)que não é
capaz de viver em sociedade.

A falta de cumprimento da lei, dentro ou fora da FEUP, não implica de
modo algum que a legislação seja suave. Esta é de facto muito justa e
permitiu a existência de espaços livres de fumo para todos.

Lamento ir contra o seu egocentrismo, mas quando fumo um cigarro, não
o faço para o chatear, mas sim porque me apetece. Pior do que fumar um
cigarro a menos de um KM de um não-fumador, é insultar tudo e todos
sem qualquer lógica.

Por muito que a minha revolta seja grande em relação ao seu discurso,
não vou de forma alguma baixar o nível da imagem de respeito desta
instituição.

Espero que reflita sobre as suas palavras, e que com bom senso, emita
um pedido de desculpas, não por ser contra o tabaco, mas sim pelos
insultos que proferiu.

Saudações académicas,

P.S.- Imagino que não conduza nenhum meio de transporte que emita
"nuvens cancerígenas.... como é lógico, vindo de uma pessoa tão
preocupada com o ambiente...


HAJA PACIÊNCIA!!!!!!!!

/****************************************/

Não pretendo manifestar qualquer posição sobre o assunto, mas será assim tão difícil perceber a evidência do sarcasmo no mail do José Maria II? :)
Já agora, se calhar discutia-se o assunto num meio onde só participasse quem estivesse interessado, evitando o mail dinâmico, cuja finalidade não é esta.

Cumprimentos,

/****************************************/

Finalmente alguem com olhos!!!

/****************************************/

Caro colega,
pelo que se percebe nem o tom exacerbado em que expôs tamanha ironia e
sarcasmo foi suficiente para que alguns compreendessem a mensagem. Mas
agora peço-lhe com todo o respeito e educação e ironia nenhuma, que
clarifique os menos perspicazes nesta matéria de humor sarcástico (que
eu até achava estar na moda, mas pelos vistos enganei-me; presumo que
o colega tenha pensado o mesmo e já se tenha arrependido).

P.S. Companheiros fumadores, tenham calma. Eu cá só frequento locais
onde posso fumar, todos os outros à minha custa ganham apenas musgo
nas paredes. Façam o mesmo e parem de reclamar no e-mail dinâmico!

/****************************************/

E finalmente a maior tanga de todas...

/****************************************/

Caro José Maria II

Gostaria de expressar o meu total apoio à opinião expressada por si no
email enviado anteriormente. Iria ainda mais longe na minha luta
contra o tabaco, uma droga que ameaça destronar outras como a cocaina
ou a heroina. O tráfico de tabaco é um dos maiores problemas da nossa
sociedade!Existe aliás um grande traficante na nossa faculdade,
mascarado sob a forma de uma papelaria!
Assim, é de minha opinião que deveria ser criada uma zona para
fumadores na feup. Sugeria que criassem um espaço vedado, onde todos
os fumadores iriam para praticar o seu pecado, não podendo de lá sair
enquanto não fossem desinfectados de cima a baixo. Funcionaria como
uma espécie de quarentena numa sala de chuto.No topo, seria instalada
uma chaminé com absorção de particulas, para que o imenso fumo não
poluisse o nosso estimado planeta.
Nas zonas circundantes, seriam distribuidos packs de air-wick, para
todos aqueles que, incomodados com o insuportável odor, se sentissem
na liberdade de expressar a sua raiva desmedida em cima daqueles
parasitas da sociedade.
Propunha também a criação de um departamento novo na FEUP:
Departamento Anti-Tabaco. O DAT seria composto por elementos das
Forças Especiais, que devidamente treinados, conseguiriam tirar o
cigarro da boca de qualquer drogado em zona de não fumadores, a
qualquer distância. Propunha o topo da biblioteca como local ideal
para a sua colocação já que permite uma boa visiblidade de toda a
faculdade e a mira da sniper não precisaria de ser muito apurada já
que menos uns "drogados" no nosso planeta não faziam falta nenhuma!
Deste modo, a FEUP seria um exemplo para todo o MUNDO!

Sem mais de momento, deixo-o apenas com um gigantesco LOOOOOOOOOOOOOOL

/****************************************/

LOOOOOOOOOOOOOOL
Habemos Paciencia!!!

2 comments:

Ei, José MáriO!

Tenho um nome infeliz mas não tanto. :P

abraço

17 de setembro de 2008 10:13  

Grande blog criado a partir de uma grande ideia! Esta série de e-mail's sobre o tabaco merecia ser documentada!

cumps,
Damião

26 de outubro de 2008 10:21  

Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

Blogger Template by Blogcrowds